segunda-feira, 21 de março de 2011

Porque todos amam o Chris?

Ultimamente tenho observado um fenômeno interessante sobre um programa de televisão. Em muitas padarias, janelas e comentários de amigos vejo a figura de um negro franzino com roupas comuns cercado por uma família igualmente comum. Nas redes sociais, vejo o rosto do mesmo menino, a dividir, em sua comunidade, espaço com ícones da literatura, da música e das artes mais “erutizadas”.

Mas, afinal, o que teria em um seriado tão simples que o fizesse alcançar tantos lares, comovendo e divertindo uma diversidade incrível de pessoas?

Credito este sucesso aos personagens do seriado, que a bem da verdade, nem precisariam ser representados por atores, de tão reais que são, e por tanto que se parecem com tipos que conhecemos muito bem (quando não nos vemos).

Indo por partes, começaremos pelo patriarca representado por um herói bem contemporâneo que, como bem faz questão de frisar, trabalha em dois empregos; além de por vezes, fazer trabalhos extras.

Julius ( Terry Crews) é um homem grande que pouco se impõe frente aos excessos do temperamento de sua esposa e em muitas vezes se mostra alheio aos problemas domésticos. Quase sempre, aparece na trama de uniforme (quase uma roupa especial dos super-heróis convencionais). Em casa, frequenta a cama nos intervalos dos trabalhos ou em sua, bem simbólica, poltrona (localizada de modo que possibilite visão para todos os pontos possíveis da sala. Como deve ser a poltrona de um pai). Sua maior característica é a habilidade para saber preços e a vocação para “lembrar” a todos os mínimos valores no exato momento em que as coisas são consumidas ou desperdiçadas.

A atitude de Julius em relação às suas economias não são postas como avareza, mas representadas como um lado cômico da necessidade de controle das finanças domésticas. Vale lembrar, que o exagero é uma forma de representar nosso cotidiano que leva o interlocutor à visualizar possibilidades de comportamento despercebidas, ou disfarçadas pelo cotidiano.

Rochele, a mãe exagerada em suas atitudes em gritos e gestos, representa de forma caricata a matriarca que carrega (e faz questão de lembrar que carrega) a responsabilidade de manter um elo em sua família, zelando pela saúde, pelas liturgias domésticas e, principalmente, pela manutenção de seu status de autoridade máxima no clã dos Rock.

Os irmãos não são representados como exemplo de amor fraternal (com exceção à afinidade existente entre os mais jovens). Ao mais velho e personagem principal, cabe um sentimento de responsabilidade pelos mais jovens, que não abre brechas para muitas manifestações de carinho ou afeto. Trata-se de um trio absolutamente comum, onde o mais velho é obrigado a ter mais consciência da situação financeira e dos perigos da vida moderna. Sua responsabilidade transcende suas expectativas de um pré adolescente a quem, sobra pouco tempo para viver suas fantasias de garoto.

A trama é extremamente simples. Via de regra, existem duas situações que se desenrolam paralelamente nos episódios. Uma ambientada na escola ou em um outro ambiente relacionado somente ao protagonista e outra que envolve sua família de forma geral.

Finalmente, o mais interessante é o carisma de Chris (Tyler James Williams), um personagem acostumado aos sucessivos fracassos em empreitadas amorosas e sociais, capaz de ter um único amigo e totalmente “impopular” em sua escola. Chris tem, entre seus principais problemas, a discriminação que sofre por ser o único negro em uma escola situada em um bairro de italianos, onde sofre violência física e psicológica. Sendo, ainda assim, um contraponto interessante aos personagens irreais da TV.



Ficha técnica:





, Paramount Television (1° temporada), CBS Paramount Television (2°-4° temporada)
Narrador(es) Chris Rock
Elenco original Tyler James Williams, Terry Crews, Tichina Arnold, Tequan Richmond, Imani Hakim, Vincent Martella
Tema de abertura "Everybody Hates Chris" (Marcus Miller)
Tema de encerramento "Everybody Hates Chris" (Tichina Arnold)
Exibição Emissora de televisão original UPN, The CW
Transmissão original 22 de setembro de 2005 - 8 de maio de 2009
N.º de temporadas 4
N.º de episódios 88

Fonte:

http://www.teleseriados.hd1.com.br/todo_mundo_odeia_o_chris.htm

Um comentário:

Maestria disse...

Não sabia que você ainda tinha esse blog. Gostei!
Vou passar aqui de vez em quando!